Menu

Autor de hit com Pollo lança versão acústica de 'Vagalumes' em CD; ouça

16 AGO 2013
16 de Agosto de 2013

Ivo Mozart, coautor da música "Vagalumes" junto com o grupo Pollo, lançou nova versão do sucesso com arranjo acústico. A faixa está no disco de estreia, que leva seu nome. Após cantar com o trio de rap na canção, que foi a 4º mais tocada em 2013 nas rádios do Brasil, o músico paulista de 27 anos resolveu mostrar sozinho seu "jeitinho mais íntimo", diz ao G1. Cique ao lado para ouvir a nova versão de Ivo Mozart para "Vagalumes".

É a música mais simples [do álbum novo]. Eu queria mostrar a verdade da música. Sou eu, um violão e um cello e um cajon [percussão]. A minha intenção com [a nova versão de] "Vagalumes" não é colocar na rádio. É simplesmente ter ali para conhecerem meu jeitinho mais íntimo", explica o artista. O álbum tem produção de Gee Rocha, guitarrista do NX Zero, amigo de infância de Ivo. O vocalista Di Ferrero participa da faixa "A festa".

Músico de rua pelo mundo

A "caçada a mais de um milhão de vagalumes" espalhou pelo país a voz do jovem de Pirituba, zona norte de São Paulo. No LP de estreia, Ivo associa cada uma das oito faixas a um conceito. "Vagalumes" representa perseverança. "Aos 19 anos, larguei faculdade de Publicidade para cantar com uma banda de forró, chamada Cariciar, em Rondônia e Amazonas. Eram quatro vocalistas. O primeiro show foi para 10 mil pessoas. Quando subi ao palco, foi aquela tremedeira. Percebi que era aquilo que queria na vida. Daí fui atrás da minha história."

O chapéu característico de Ivo Mozart marcou sua trajetória. O dinheiro que ganhava como músico de rua era depositado entre as abas. A jornada em 20 países começou aos 23 anos, após se formar em Publicidade. "Foi um ano de viagem. Começou na Holanda. Rodei a Europa inteira. Fui ao Marrocos, ao deserto do Saara. Lá não cantei na rua [risos], mas numa tenda para 18 pessoas. Argentina e Chile também. Foi uma viagem bem mágica. Como eu não falava inglês, me comunicava pela música. Fazia festas em albergues. Em Barcelona, me senti em casa. Depois, senti que podia começar a minha carreira."

Voltar
Tenha você também a sua rádio